G.I. Joe: The rise of Cobra / O ataque dos Cobra

Antes de mais nada, apezar de o Storm Shadow estar no banner do blog, não percebo quase nada de G.I. Joe. Portanto, peço aos fãns de longa data que me perdoem se alguma vêz eu disser por engano “Snake Eyes é o líder dos Cobras”, mas não tenho o mesmo conhecimento que vocês. Talvêz quando eu tiver 32 anos e tornar-me um Nerd pobre, gordo e virgem que passa o tempo todo a comer Cheetos em frente ao PC e a pensar na porrada de oportunidades que eu perdi para me tornar um realizador .

Mas porque é que raios sempre que escrevo um post eu começo com temas imbecis e paralelos e desfoco-me do assunto? Vamos é ao que intressa: A análise ao G.I. Joe: The rise of Cobra, ou como é chamado pelo título Portuga, G.I. Joe: O ataque dos Cobra.

A história é bastante semelhante á original: (PELO QUE EU SEI, já disse que não percebo quase nada de G.I. Joe!) Um bando de recrutados com equipamento super-avançados, constituídos por papel de maior revelância de  Duke, Scarlett, Heavy Duty e Snake eyes, lutam contra os violentos Cobras, uma assosiação com maior papel de Destro, The Doctor, Storm Shadow e Baroness.

E se alguém notar quer o comandante Cobra não está na lista, digo já que não quero estragar surpresas a ninguém.

Durante o filme, deparamo-nos com McCullen (Não falo mais sobre ele senão iria de novo estragar surpresas) que é dono de uma fábrica de armamentos marciana, e acabaram de desenvolver umas “ogivas” que dissolvem qualquer coisa que apanharem em ácido.

Como fizeram com a Torre Eiffel no trailer. Aliás, o meu sincero comentário sobre isso da Torre Eifel: Coisinha mais cliché, não dava para ser mais original?  Parece que todos querem ver a Torre Eiffel a caír e a partir-se t0da. Infelizmente é assim… E pronto, o filme é basicamente a luta pela possesão das outras três ogivas que ainda não foram usadas no Empire States Building, na Casa Branca e na ponte 25 de Abril, em uma mistura de flashbacks para ninguém se esquecer porque o Duke se divorciou da Ana, porque o Snake Eyes e o Storm Shadow passam a vida a bater-se e porque o Rex tornou-se Destro.

Pronto, já estraguei uma das surpresas… Enfim, no geral, em questões de história, G.I.Joe: Rise of Cobra  fêz o correcto que deve ser aplicado em um filme de acção: Aplicar uma história simplória para o público mais burro que não se adapta com muita acção e uma história complexa. Sim, qualquer pessoa que considere que a história de Revenge Of The Fallen incompreensível é uma pessoa burra, e isso não é opinião nem especulação: É um facto! E G.I. Joe preferiu não arriscar por um simples motivo: Tal como acontece com os Bayformers, G.I. Joe vai garantidamente criar uma triologia de sucesso que garantiamente vai render montes de $$$, €€€ e ¥¥¥ devido á porrada de fãns da série original que garantidamente vão originar um Box Office extremo.

Os efeitos especiais são como o cinema de hoje: CGI´s DU C*RALHU que obviamente fazem o público babar-se e desejar conseguir fazer o mesmo em casa com o Windows Movie Maker.

Quanto á duração do filme: Não sei ao certo quanto tempo dura, mas é extremamente rápido- De aposta cerca de uma hora e 30. Por exemplo, a Torre Eiffel a caír é basicamente a meio do filme, algo que ficaria muito melhor como introdução.  Grande parte do tempo do filme é perdido com os flashbacks inúteis que relatei. Uma das coisas mais chatas foi definitivamente quando a Baronesa começa a lembrar-se da sua vida com o Duke e fica toda comovida e salva-a da própria tortura de The Doctor, visto que ELA MESMA estava envolvida na tortura e há 5 minutos atrás ainda odiava Duke.

E no final existe uma enorme batalha subaquática que pelos shots que o filme nos dá parecem espetaculares… Mas era assim tão caro ter mais alguns minutinhos de CGI dessa batalha? A sério, parecia tão awesome, mas acaba-se por perder uma porrada de coisas.

“Overview”:

Antes de ir ver li poucos comentários ao filme mas diziam ser espetacular, o que fêz as minhas espectativas aumentarem drasticamente. Achei que fosse algo espetacular, algo embora não melhor que Revenge Of The Fallen, também fosse uma verdadeira arte… E sinceramente, saí decepcionado. Não que G.I. Joe seja um mau filme, qualquer tipo de público que goste de filmes de acção entupidos de porrada (Como eu) vai saír satisfeito, mas eu esperava muito mais.COMPARANDO com os blockbusters deste ano que eu vi, G.I. Joe: Rise of Cobra é melhor do que quase todos eles, mas ainda não é tão bom quanto Sexta-Feira 13 (Remake do Bay) e Knowing, e obviamente nem chega aos pés de Transformers: Revenge Of The Fallen.

Por fim, recomendo ir ver, mas do meu ponto de vista sem grandes expectativas, apenas esperando por muita porrada e CGI. E pronto, vou comprar o jogo, os brinquedos deste filme, e esperar pela sequela, como em um normal blockbuster deste tipo.

Nota final: 6,5 

Abraços!

Uma resposta to “G.I. Joe: The rise of Cobra / O ataque dos Cobra”

  1. Mas porque é que raios sempre que escrevo um post eu começo com temas imbecis e paralelos e desfoco-me do assunto?
    Resposta: Ta Lendo Muit oO Blkog Do Amer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: